TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

04.- FORMATURAS FAZEM EMOÇÕES E REVIVEM SAUDADES

ANO
 8
em fase de transição
EDIÇÃO
 2612

Hoje a Maria Antônia, que em 1999 pela primeira, me fez curtir os dulçores do avonar forma-se no ensino fundamental. Parece fácil entender a grande emoção que se apossa de mim por esta celebração.
Este evento me faz remontar 56 anos. Mais precisamente para 8 de dezembro de 1957. As comparações destas duas efemérides são inevitáveis. Olho a Maria Antônia. Sua formatura não ocorre apenas mais de meio século depois da minha e ocorre com muitas diferenças.
Então, ‘eu me formava’ no Ginásio São João Batista, uma escola marista, em Montenegro. Ela conclui uma etapa de sua escolarização no Monteiro Lobato, uma escola laica em Porto Alegre. Essa é uma diferença muito pequena.
O mundo outro. Há mais liberdade. Há mais respeito à individualidade e às diferenças. Há mais tolerância. Há considerações com o ambiente natural. Há muito mais oportunidades. Isso tudo é significativo.
Para mim a diferença maior — sei que meu olhar é enviesado — são os professores. Nós tínhamos repetidores de livros textos dogmáticos. Hoje há professores preparados que desafiam os estudantes a reflexões críticas. Para mim é isto faz que a Maria Antônia mantenha uma conversação sobre os assuntos do mundo com a experiência que não tínhamos com ‘a mesma’ escolarização.
A oferta de possibilidades de Educação era muito diferente. A existência de colégios públicos para formação secundária era muito rara nas cidades do interior.
No começo da segunda metade do século 20, concluir o curso ginasial [então havia cinco anos de curso primário que eram sucedidos por quatro anos de curso ginasial; neste se ingressava por um exame de admissão], especialmente no interior, era motivo de solene formatura. Esta se realizava no melhor clube da cidade e na mesa que presidia a solenidade se assentavam além do diretor do Ginásio, do paraninfo e dos professores homenageados, o prefeito municipal, o vigário da paróquia e comandante do quartel da Brigada Militar.
Formatura no curso ginasial (hoje seria terminar o ensino fundamental) merecia até quadro de formatura, que antes de ir para o panteão da escola ficava exposto na vitrine da principal loja da cidade, bem em frente à praça. Não eram poucos os formandos que passavam a ostentar, depois de concluir o ginasial, anel de grau.
Nunca me esqueço, que uns anos antes de minha formatura, talvez ainda estivesse no primário, quando o meu pai chegou de uma formatura no curso ginasial de um filho da D. Adolfina, viúva de um ferroviário colega dele, dizendo que gostaria que um dia um de seus filhos também se formasse no ginásio. Todos os seus sete filhos fizeram isso, quase todos se graduaram na universidade e um deles se fez doutor. Se vivo fosse talvez contasse com orgulho, em 2002, que tinha um filho fazendo pós-doutorado ‘no estrangeiro!’. Hoje, ele deve se orgulhar que sua primeira bisneta conclui o ensino fundamental. Ela certamente está muito feliz por isso.

8 comentários:

  1. Professor,
    imagino seu orgulho com sua neta.
    À ela e a todos que vibram com ela, muita Paz
    Laurus

    ResponderExcluir
  2. Muito especial Mestre Chassot!
    Linda a referência à Maria Antônia,
    Os pais e senhor devem ter muito orgulho dela.
    Achei lindo o senhor incluir entre os que vibram por ela o bisavô.
    Felicidade a todos

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo prof. Chassot: belissima homenagem á sua neta, felicito-o. E refletindo sobre o texto, lembro de uma frase de minha mãe, em Castanhal, onde ela gerou e cuidou dos dez filhos:"ficarei feliz quando (e se) todos completarem o curso ginasial". Que tempos bons, hein? Grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Muito querido Mestre Chassot!
    Infiro sua emoção. Penso que vemo-nos prolongados nos sucessos de nossos filho e e este sucesso deve ser potencializado nas vitória dos netos.
    Penso que nós, seus leitores, nos contagiamos com a Maria Antônia.
    As alegrias da Marcella

    ResponderExcluir
  5. Querido avô da Maria Antonia, teu comovente blog de hoje me faz recordar as doces emoções que nossa formanda de hoje já nos propiciou, fazendo-nos estrear no avonado...Aquele lindo bebê que nos encantava se tornou uma jovem que, mantendo sua meiguice e beleza interior, se lança com afinco nas coisas da vida, para ver concretizados seus sonhos. Há muito o que celebrar na data de hoje!

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    No peito de Chassot amor se intruja
    Pois sua neta é brilhante a dita cuja
    O mestre embevecido
    Vê o mundo colorido
    Esse tão apaixonado avô coruja.

    ResponderExcluir
  7. a equipe cupcake porto alegre adorou o post, parabéns.

    ResponderExcluir