TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

terça-feira, 3 de maio de 2016

03.- INAUGURANDO MAIO



ANO
 10
LIVRARIA VIRTUAL em www.professorchassot.pro.br
EDIÇÃO
 3159

Nesta terça-feira inauguro, aqui, maio. Ele já ordena nossos fazeres desde domingo, quando nos sequestrou um feriado. Na dimensão política do país maio não será menos inóspito que abril, que despedi com uma blogada lúgubre no sábado.
Deixo de lado, por ora, amargores políticos ao ver fluir já o quarto mês alijado de sala de aula. A agenda é promissora se considerar que na dita ‘Pátria Educadora’ é tempo de vacas magras, que determinam, também, cortes em palestras agendadas.
Nesta quinta vou à Tramandaí, a convite de meu ex-aluno Prof. Dr. Roniere Fenner, falar na Licenciatura da Educação do Campo da UFRGS.
Nos dias 10 e 11 estarei em Rio Grande para ministrar o minicurso História e Filosofia da Ciência catalisando a indisciplinaridade na V Semana Acadêmica da Escola de Química e Alimentos da FURG.
Esta edição já circulava quando recebi convite do Prof. Dr. Jarbas Santos Vieira, do Programa Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas para antecipar minha viagem à Zona Sul e na manhã de segunda-feira, dia 9, falar na ‘Semana de Conversações’ no Programa de Pós Graduação em Educação da UFPel.
No dia 20, volto ao Centro Universitário Metodista do IPA para proferir palestra “A arte de escrever Ciência com Arte” no Mestrado Profissional de Reabilitação e Inclusão.
No dia 23 tenho a tarde um minicurso e à noite palestra na PUC-PR em Curitiba. No dia 24 estarei na UFPR-Campus Litoral em Matinhos, onde terei encontro com professores e à noite faço palestra.
Assim meu maio acadêmico — que estreou ontem com minha presença virtual na qualificação da doutoranda Ethel Oliveira da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, no polo de Manaus — oferecerá oportunidades com desejados reencontros docentes e discentes. E isso é bom.

sábado, 30 de abril de 2016

30.- UMA VEZ HOUVE UM 17 de abril

ANO
 10
LIVRARIA VIRTUAL em www.professorchassot.pro.br
EDIÇÃO
 3158

Termina abril de 2016.
Ele não entrará para nossa história como um abril qualquer. Mesmo que em todos os abris dantes houvesse dias 17, o deste de 2016 foi diferente. Talvez, um dia teremos que narra-lo para nossos pósteros, assim como neste dia 26 lembramos os 30 anos da tragédia de Chernobyl. Cada uma e cada um há de lembrar este 17 de abril de uma maneira. Não será outra edição de golpe, patrocinado como 1964, pela grande mídia e por uma potência que se considera o sherife do Planeta.
Trago aqui um vídeo que conta daquele dia. Parece que vale guarda-lo. Há duas semanas, nossa indignação foi tanta que há cenas que desejamos obliterar de nossas reminiscências.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

27.— Não deixe cortar a ‘nossa’ Internet


ANO
 10
LIVRARIA VIRTUAL em www.professorchassot.pro.br
EDIÇÃO
 3157

Vivo, GVT, OI, NET, Claro, Anatel, Ministério Publico Federal:
 Contra o Limite na Franquia de Dados na Banda Larga Fixa
"Esta mudança é ilegal e não trará benefícios para o usuário. De acordo com Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, "Nós entendemos que a Anatel não pode se omitir e aceitar essa mudança, porque o consumidor é quem vai sair perdendo. Uma mudança como essa precisa passar por uma ampla discussão antes de ser aprovada. Isso é um retrocesso."
De acordo com a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, o Marco Civil da Internet deixa claro que uma companhia de telecomunicações só pode impedir o acesso de um cliente à internet se este deixar de pagar a conta. Para a ABDC, as operadoras estão aproveitando uma brecha na legislação - que proíbe explicitamente o modo de cobrança por franquia - para "obrigar" o consumidor a pagar mais caro por um plano com um limite maior, mesmo que a qualidade da conexão ainda deixe a desejar em termos de estabilidade e velocidade.
A ideia das operadoras visa forçar os seus clientes a trocaram para um plano com internet mais rápida no intuito de terem uma maior franquia mensal.
Para assinar a petição copie:
https://secure.avaaz.org/po/petition/Vivo_GVT_OI_NET_Claro_Anatel_Ministerio_Publico_Federal_Contra_o_Limite_na_Franquia_de_Dados_na_Banda_Larga_Fixa/?bxAUMab&v=75376&cl=9849749170 

sábado, 23 de abril de 2016

23.— DIA MUNDIAL DO LIVRO


ANO
 10
LIVRARIA VIRTUAL em www.professorchassot.pro.br
EDIÇÃO
 3156







Em 1995, a UNESCO instituiu 23 de abril como o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, pois nesta data se assinala o falecimento de entre outros escritores, de Miguel Cervantes, o ícone da literatura hispânica e de William Shakespeare, dramaturgo inglês.
No caso do escritor inglês, tal data não é precisa, pois na Inglaterra, naquele tempo (1616), ainda utilizava o calendário juliano, havendo uma diferença de 10 dias para o calendário gregoriano usado na Espanha. Assim Shakespeare faleceu efetivamente 10 dias depois de Cervantes.
Parece ser adequada homenagem à data, minimizar o blogue e se ofertar uma ñvoadinha catalisada por um livro. E... boa leitura. 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

20.— Desvelando FORTUNA CRÍTICA


ANO
 10
LIVRARIA VIRTUAL em www.professorchassot.pro.br
EDIÇÃO
 3156
Retirar a tarja de enlutamento, que marcou a última edição, redigida com muita dificuldade, quando os últimos impichadores* desfilavam no picadeiro a recitar aquelas baboseiras não significa que a dor desaparece. Deixo o luto, continua na luta.
·         Tinha escrito ao invés de impichadores, palhaços. Pareceu-me de tom bom optar pelo neologismo, pois estaria ofendendo uma classe de trabalhadores-artistas que admiro. Lembro de alunos desta profissão que tive em sala de aula, sempre excelentes estudantes e competentes profissionais. Para eles uma comovida homenagem na singeleza desta nota de rodapé.

A véspera de feriado, neste veranico outonal (Porto Alegre teve esta semana a maior temperatura aprilina em 100 anos) autoriza-me falar em algo mais prosaico. Na manhã de terça-feira estava na academia, em musculação, quando sou inquirido: “Aonde viajas agora?” Disse que pensava na minha mãe. Ela foi, quando solteira, professora de classes multisseriadas. Ia e voltava, a cavalo, de Santa Teresinha à Piedade. Certamente ela devia ter ganho alguma mensagem de aluno, talvez, até escrita em alemão, que era a língua materna dos nativos do vale do Forromeco. Mas nenhum rabisco ficou para contar história.
Que ficará para nossos netos de nossas fugazes escrituras no WhatsApp? Então lembrei-me que há menos de um ano, talvez até pecando pela falta de modéstia, comecei a amealhar uma Fortuna Crítica.
Ainda recentemente, não sabia o que era “Fortuna crítica”, Aliás, para fazer este texto procurei muito sobre o tema; encontrei pouco. O Priberam, meu dicionário preferido, não refere a locução. O Aulete diz: Fortuna crítica O acervo de críticas sobre obra publicada.
A ilustração é de allansieber.blogosfera.uol.com.br

Recordo ter visto pela primeira vez a expressão na página oficial de Moacyr Scliar (1937-2011). Agora, voltei e encontrei como porção destacada da página onde estão relacionados escritos sobre o escritor gaúcho. Vi o termo traduzido do português para o inglês como: critical essays. Há alguns dias recebi uma mensagem que me alegrou. Abri uma pasta nos meus arquivos: Fortuna Crítica. Agora, de vez em vez, transfiro para esta pasta mais alguns dizeres sobre mim.
A que propósito trago o assunto aqui nesses dias em que a democracia brasileira está sendo tão enlameada? Porque o texto do blogue em que refletia minha tristeza — talvez melhor seria dizer a náusea sentida ante a oitiva das infâmias e da satanização de algumas falas — publiquei também no Facebook, quase duas horas antes do encerramento da votação.
De maneira usual publico pouco no Facebook. Fiquei surpreso com a repercussão de um texto onde não dizia muito mais que vivia então: Muito provavelmente é/foi uma tarde/noite das mais tristes e humilhantes de minha história.[...] Não é o resultado que me transtorna. É o achincalhar a verdade. Aproveitar 10 segundos fugazes de fama para recitar mentiras é algo pior do que impingir à família, em um domingo, um filme pornográfico ou reproduzir cenas de estupro.
O texto teve uma repercussão imediata e espetacular. Antes de terminar a votação já havia mais de uma centena de curtidas e dezenas de compartilhamentos. Na noite de segunda-feira, 24 horas depois, já havia mais de 700 curtidas e mais de 200 compartilhamentos.
Mas sou especialmente reconhecido a mais de meia centena de comentários. Copiei alguns deles para minha fortuna crítica (assim está justificado o tema desta blogada). Houve quem escrevesse do exterior. Amigos que há muito eram silentes. Muitos que não conheço. Se, daqui a alguns anos tiver que contar a meus netos como muitos brasileiros foram humilhados e escarnecidos por uma tropilha de parlamentares malévolos vou mostrar mensagens como algumas destas:
Camila Bertamoni Obrigada PAI e MÃE por abrirem mão de suas coisas e pagarem os meus estudos, só assim pude ter o privilégio de ter aula com pessoas tão grandiosas!!!! Obrigada Mestre Attico Chassot!!!
Gilberto Telmo Sidney Marques Querido amigo professor Attico Chassot concordo com suas palavras e compartilho as suas apreensões. Ontem tivemos a oportunidade de assistir um espetáculo deprimente: um tribunal de exceção composto por muitos corruptos (cerca de 150 estão indiciados por corrupção), analfabetos políticos comandados por um gangster, o presidente da Câmara Eduardo Cunha. Senti vergonha e nojo daquele parlamento apodrecido. O acordão entre os inimigos da democracia vai salvar o mandato de Cunha. Tudo parece surreal, mas infelizmente é verdadeiro. Um abraço fraterno.
Edni Oscar Schroeder CHASSOT - Nós já somos velhos experientes ao suficiente para saber QUE A RODA GIRA! Há 2 projetos em disputa eu me sinto engrandecido (esmorecer, jamais!) por estar do lado de líderes que marcam e marcaram o nosso Brasil!
Roberto Nardi Oi Chassot Concordo contigo. Triste ver essa corja de corruptos falando em Deus, família, justiça e outras palavras que não combinam com a sujeira que eles representam... um nojo!
Marcos Calovi Estou contigo, caro mestre e colega! Que vergonha deste país, desta Câmara, de nosso STF que até agora ainda não retirou este pulha da presidência desta casa, enfim, que dizer mais. Revoltante ad nauseam. Amanhã, salvo algum milagre, teremos uma enorme ressaca democrática neste país. Que vergonha!
Marcio D'Olne Campos Estou contigo. Abraço forte, solidário e amigo.
Mateus Santos Somente um célebre educador e crítico da ciência tradicional poderia demonstrar tal sensibilidade ao redigir um texto a respeito dos atuais acontecimentos na política nacional. Mestre Chassot, sabe que tuas agruras são compartilhadas por muitos.
Necésio Pereira· La Paz, Bolívia ·Eu em meu exílio me vejo buscando entender a situação do país que por um acaso nasci, de um lugar que ao nascer diz algo sobre mim e nessa busca vou ao encontro da opinião de alguns mestres ainda vivos que eu tenho e um deles é Attico Chassot. Me preocupo...quando alguém que considero uma mente brilhante, quando alguém que considero um guerreiro da argumentação e da ciência resume sua analise a meia dúzias de frases como essa é um sinal grave de que meus compatriotas estão em uma situação bem ruim.