TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

19.-E... SE A HIPÓTESE NÃO FOR VERDADEIRA?



Ano 7***www.professorchassot.pro.br***Edição 2393
A estreia em novos grupos, no inicio de cada semestre letivo, sempre traz marcas que traduzem a ‘não-rotina’ de ser professor. Esta tarde e esta noite vou conhecer duas turmas com as quais me envolverei na disciplina de Teorias do Desenvolvimento Humano no Centro Universitário Metodista do IPA. Multiplicam-se expectativas.
Não sei se é inveja, mas quando leio um bom texto, a sensação de admiração se mescla com um desejo inconfessável de ter sido o autor.
Ontem, quando li Luís Fernando Veríssimo — mesmo sabendo que degustava um dos mais expressivos escritores brasileiros — fui invadido do desejo de ser o autor da crônica. Acho que, usualmente não sou megalomaníaco; ontem fui. Esta é razão pela qual essa edição se constrói com a crônica presente na p. 2 Zero Hora de 19FEV13:
Deus hipotético Um religioso dirá que não faltam provas da existência de Deus e da sua influência em nossas vidas. Quem não tem a mesma convicção não pode deixar de se admirar com o poder do que é, afinal, apenas uma suposição. A hipótese de que haja um Deus que criou o mundo e ouve as nossas preces tem sobrevivido a todos os desafios da razão, independentemente de provas. Agora mesmo assistimos ao espetáculo de uma empresa multinacional às voltas com a sucessão no comando do seu vasto e rico império, e o admirável é que tudo — o império, a riqueza e o fascínio dos rituais e das intrigas da Igreja de Roma — seja baseado, há 2000 anos, em nada mais do que uma suposição.
Todas as religiões monoteístas compartilham da mesma hipótese, só divergindo em detalhes como o nome do seu deus. E todas tem causado o mesmo dano, em nome da hipótese. Não é preciso nem falar no fundamentalismo islâmico, que aterroriza o próprio islã. Há o fundamentalismo judaico, com sua receita teocrática e intolerante para a sobrevivência de Israel. O fundamentalismo cristão que representa o que há de mais retrógrado e assustador no reacionarismo americano, e as religiões neo-pentecostais que se multiplicam no Brasil, quase todas atuando no limite entre o curandeirismo e a exploração da crendice. A igreja católica pelo menos dá espetáculos mais bonitos, mas luta para escapar do obscurantismo que caracterizou sua história nestes 2000 anos, contra um conservadorismo ainda dominante. A hipótese de Deus não tem inspirado as religiões a serem muito religiosas.
Há aquela parábola do Dostoiévski sobre o encontro do Grande Inquisidor com Jesus Cristo, que volta à Terra – o filho da hipótese tornado homem — para salvar a humanidade outra vez, já que da primeira vez não deu certo. Os dois conversam na cela onde Cristo foi metido por estar perturbando a ordem pública, e o Grande Inquisidor não demora a perceber que a pregação do homem ameaçará, antes de mais nada, a própria Igreja, a religião institucionalizada e os privilégios do poder. Não me lembro como termina a parábola. Desconfio que, se fosse hoje, deixariam o Cristo trancado na cela e jogariam a chave fora.

6 comentários:

  1. Estimado Mestre Chassot,
    brilhante sua seleção para esta edição.
    “Abençoada” seja a sua santa inveja de produzir o texto oferecido. O senhor há de chegar lá. Falta pouco.
    Não disponho e já busquei esclarecimentos acerca do conto de Dostoievski citado por LFV. Está ai uma pauta pintando para amanhã.
    Com expectativa
    L L L

    ResponderExcluir
  2. Caro Mestre Chassot em nada perdes para Veríssimo, apenas tens estilo diferente. Quanto ao texto, embora inteligente e irônico, mais me parece norteado pela inquietude que domina a mente dos céticos.

    abraços

    Antonio Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito caros Laurus e Antonio Jorge,
      a um e outro obrigado pela generosa e estimulante avaliação de minha produção como escrevinhador.
      Laurus, já ontem buscava algo acerca do conto ‘O grande Inquisidor’ de Dostoievski. Sugestão de pauta ~~ salvo que valor maior se alevante ~~ está aceita.
      Ler-nos-emos (uma mesóclise parece pedante para quem almeja escrever como LFV) amanhã.
      Antonio Jorge ~~ muito respeitado comentarista diário aqui ~~, a vantagem que levam os que creem sobre os que não creem são as certezas daqueles contra as incertezas destes.
      Um vez mais: obrigado especial aos dois

      attico chassot

      Excluir
  3. Limerique

    Eram monoteistas religiões
    Apoiadas em suas suposições
    Em tudo viam deus
    E pregavam aos seus
    Mas seus alicerces eram senões.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Alguns dizem que deus é bobagem
    E contra seus adoradores reagem
    Mas não fujamos da verdade
    Baseada em nossa autoridade
    O homem criou deus à sua imagem.

    ResponderExcluir
  5. Duvidar até da dúvida, não é mestre...?

    ResponderExcluir