TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

segunda-feira, 19 de março de 2012

19.- PÍLULA DO DIA SEGUINTE: ¿É CRIME?



Ano 6 *** www.professorchassot.pro.br *** Edição 2056
Abro a semana com um cumprimento especial aos de nome José — e suas centenas de combinações — e inclua Josefa, Josefina, Maria José, José Maria... Parece que cumprimentar pelo onomástico — hoje é dia de São José — é algo démodé.
Hoje é também o dia do Sol e o dia da Terra e nestes dias céu está belíssimo. Os dois planetas mais brilhantes, Vênus e Júpiter, estão em conjunção (próximos) no oeste logo após o poente. A lua reaparecerá perto deles no final do mês, amplificando a beleza do evento. Enquanto isso, no leste, Marte está em oposição (ou quase) com o Sol, o que o torna bem brilhante e alaranjado.
Até Mercúrio andou mostrando sua cara no início do mês. Saturno aparece na linha do horizonte leste no início da noite. Ou seja, durante o mês, os cinco planetas visíveis a olho nu estarão presentes no céu.
Como diz Marcelo Gleiser, se isso tivesse ocorrido há dois séculos, viria o pânico. Logo, não há necessidade de correr às igrejas e arrepender-se pois não é o fim do mundo.
Mas o assunto de hoje é mais terreno. Parte de uma notícia falaciosa presente em muitos sítios noticiosos: A Corte Suprema de Justiça de Honduras assinala que a pílula do dia seguinte é abortiva.
Dentro de poucos dias, Honduras pode aprovar uma lei extremista que colocará as mulheres na prisão por usarem a pílula do dia seguinte, mesmo depois de serem estupradas. Mas nós podemos derrubar esta lei e devolver às mulheres a chance de evitar uma gravidez indesejada.
Alguns membros do Congresso concordam que essa lei — que também mandaria os médicos ou qualquer pessoa que vender os comprimidos para a prisão — é excessiva, mas eles estão cedendo ao poderoso lobby religioso que erroneamente afirma que a pílula do dia seguinte constitui um aborto. Entretanto, o presidente do Congresso, que quer concorrer ao cargo de presidente de Honduras e se preocupa com sua reputação no exterior, pode impedir isso. Se o pressionarmos agora, poderemos arquivar essa lei reacionária.
A votação pode acontecer a qualquer momento. Vamos mostrar a Honduras que o mundo não vai apoiar a prisão de mulheres que tentam prevenir uma gravidez, mesmo depois de violência sexual.
Assim este blogue adere a campanhas internacionais e ratifico o pedido que fiz na semana passada no Facebook. Assine a petição urgente exigindo ao presidente do Congresso, Juan Orlando Hernández, que defenda os direitos das mulheres. Se alcançarmos 400.000 assinaturas, grupos locais de mulheres irão entregar pessoalmente o nosso clamor para Hernández:
http://www.avaaz.org/po/no_prison_for_contraception/?vl 

Alguns países, como Honduras, proibiram a pílula anticoncepcional de emergência que funciona atrasando a ovulação e evitando a gravidez -- tais como pílulas anticoncepcionais comuns. Mas se esta nova lei for aprovada, Honduras será o único país no mundo a punir o uso ou venda de anticoncepcionais de emergência com uma pena de prisão. Adolescentes, vítimas de estupro, médicos ou qualquer outra pessoa condenada por vender ou usar a pílula do dia seguinte podem acabar atrás das grades, uma flagrante violação das diretrizes da Organização Mundial de Saúde. A organização declarou este contraceptivo de emergência como um medicamento essencial para todas as mulheres, especialmente as vítimas de estupro.

A América Latina já tem muitas leis duras que restringem os direitos reprodutivos das mulheres. A primeira vez que o Congresso de Honduras aprovou essa medida draconiana foi em abril de 2009, mas apenas um mês mais tarde o ex-presidente, José Manuel Zelaya, cedeu à pressão de ativistas e vetou a lei. Ele foi deposto por um golpe apenas algumas semanas depois, e desde então o novo regime forçou o retorno do projeto para votação.

O tempo é curto, mas podemos impedir essa proposta horrível de seguir adiante. O Congresso tem o voto final sobre o assunto e o governo não quer arriscar a sua já frágil reputação global. Vamos dizer ao presidente do Congresso, Hernández, que é inaceitável criminalizar a contracepção. Assine esta petição urgente agora e compartilhe com seus amigos e familiares:
http://www.avaaz.org/po/no_prison_for_contraception/?vl 
As medidas anticoncepcionais de emergência são vitais para as mulheres em todos os lugares, mas especialmente onde a violência sexual contra as mulheres é extravagante, as taxas de gravidez não planejadas são altas e o acesso ao controle de natalidade regular é limitado. A Avaaz cresceu com força na América Latina — há mais de 2.5 milhões de nós em toda a região! Vamos apoiar as mulheres de Honduras e ajudá-las a acabar com esse projeto de lei. Com esperança e determinação, estamos nesta luta.
 

13 comentários:

  1. Caro Chassot,
    já me inclui nessa corrente; mesmo que a lei não seja derrubada, é importante nos posicionar contra essa visão religiosa retrógrada; quando a religião se imiscui nas questões de Estado, dá nisso: desastre social. O pensamento religioso e teológico necessita trilhar os caminhos da reflexão pessoal e autônoma.
    Forte abraço,
    Garin

    ResponderExcluir
  2. Caro Chassot,
    A Nicarágua poderá ser incluída no rol das nações mais medievais do Planeta se essa estultice continuar. Proibir o uso da pílula do dia seguinte e considerar crime seu uso, é idiotice. Talvez seja melhor a Nicarágua ressuscitar a inquisição, enquadrar as mulheres que usam a pílula como bruxas e queimá-las em praça pública, serviria de exemplo para todas as mulheres do mundo. Viva o medievalismo!!! Abraços, JAIR.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Mestre!
    Do jeito que as coisas estão ficando aqui no Brasil, não vou me surpreender se daqui a pouco adotarem medidas assim por aqui!
    A questão neste caso não é apenas técnica, mas de convicções morais e religiosas!
    Qualquer dia, podem dizer que vasectomia também é uma forma de aborto!
    De forma incrível, o obscurantismo tenta se reerguer, no alvorecer do século XXI!
    A questão do aborto, na minha irrelevante opinião, só deveria ser decidida por mulheres com certo grau de escolaridade e ainda com capacidade reprodutiva, pois acredito que só mesmo elas possam pesar os prós e contras envolvidos na questão!
    Fica muito fácil para um homem, religioso ou político, dizer que uma vítima de estupro tem obrigação de completar uma gestação oriunda da violência, pois quem vai sofrer as consequências não será ele!
    Saudações!

    ResponderExcluir
  4. Salve Mestre!
    Falando em algo démodé... como em outras cidades brasileiras, hoje em Itabuna (BA), é dia de São José, o padroeiro da cidade, hoje também marcar para os nordestinos o dia de plantar o milho para os festejos juninos (milho assado, canjica, milho cozido, bolos e etc.) "reza" a tradição: caso hoje chova a fartura na roça (pequenas áreas de plantio - roçados) será muito boa.
    Abraços
    Jorge e Alana e por que não São José.

    ResponderExcluir
  5. Muito queridos Jorge Hamilton, Alana, Lorena e Larissa,
    ~~ e porque não São José ~~
    que surpresa gostosa. Já é distante, muito distante, uma última chegada aqui.
    E chegam, não apenas prenhe de saudades, mas trazendo saberes que enriquecem a blogada de hoje.
    Espero que tenha chovido, hoje.
    Saibam que este ano estarei duas vezes na Bahia: em julho, no ENEQ em Salvador e em novembro em Amargosa.
    Desejaria mesmo ir a Itabuna para vê-los.
    Feliz por ter noticias

    attico chassot

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mestre, obrigado por nos seguir (Escola Saber Viver), fizemos uma postagem referendando o convite a olhar os planetas neste mês com sua indação/sugestão. Obrigado
      Jorge Hamilton, Alana, Lorena e Larissa.
      www.escolasaberviver.com

      Excluir
  6. Me chamo Jose, e nao sabia desta data. Obrigado pela homenagem e pelo conhecimento!

    ResponderExcluir
  7. Luan Cristian da Silva21 de março de 2012 22:59

    Boa Noite Mestre

    Acho um absurdo essa atitude de Honduras, não se pode proibir o direito da mulher praticar um ato que a protegerá de ter uma gravidez indesejada no momento. O uso da pílula deve ser preservado, pois em alguns casos pode ser extremamente necessário, imagine só uma mulher que não pode engravidar e para isso precise fazer o uso da mesma após as relações sexuais para evitar uma possível fecundação...Além disso, outro problema social pode vir como consequência disso, o uso da pílula interfere na taxa de natalidade da população, em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento onde há um grande número dessa taxa, o uso de contraceptivos se torna uma ferramenta de controle do crescimento populacional exacerbado. Dessa forma proibir o uso da pílula refletirá futuramente em problemas socioeconômicos para o país. Devemos nos mobilizar para evitar com que essa medida se torne válida. Estamos no século XXI, hoje temos muitos avanços técnico-científicos que podem ser utilizados a favor da população, não podemos aceitar discursos de que o homem não deve interferir na vontade de Deus, que métodos contraceptivos importantes como camisinha, pílula do dia seguinte sejam proibidos.


    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  8. Flávia Mól Lanna22 de março de 2012 18:33

    Olá Mestre,
    Li agora pela primeira vez o seu blog. Gostei muito, principalmente por falar sobre vários assuntos diferentes, envolvendo desde assuntos científicos à assuntos polêmicos. Falando nisso, essa questão da proibição do uso da pílula do dia seguinte, na minha opinião, é um absurdo, principalmente no caso de mulheres que sofreram violência sexual. O caso de regular a natalidade também é um fator importante, mas não tanto quanto o citado acima. Apoio com certeza a invalidação desta lei em Honduras e qualquer outro país que quiser aprova-la.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Wagner Faria Messias22 de março de 2012 18:46

    Boa noite senhor chassot,
    É muito legal que o senhor aborde assuntos governamentais de caráter global em seu blog, pois em minha opinião o que falta na população brasileira é união em prol das causas globais. Tratamos as divergências mundias como distantes de nossa realidade, e não nos colocamos em nenhum momento no lugar das nações que enfrentam situações problemáticas. A questão da pílula é um assunto de extrema importância, visto que recai sobre todas as mulheres do planeta, as quais tem o absoluto direito sobre a hora que devem ou não devem conceber uma criança. Não vou nem entrar no caso da violência sexual, pois esse é um quesito óbvio em que é necessário a total preservação do uso do medicamento.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Mestre, achei muito interessante o assunto abordado, parabéns pelo blog e pela iniciativa, abraços.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Mestre Chassot, acabei de ler a postagem e estou muito assustado com a situação. A proibição da pílula é um fato que irá acarretar consequências irreparáveis na vida das mulheres de Honduras. É espantoso acreditar que mesmo em casos de violência sexual a mulher não poderá utilizar a pílula, e se usá-la, ainda assim poderá ser presa. Temos que nos mobilizar para que o assunto tome maiores proporções, para que assim se consiga o número necessário de assinaturas para que a lei seja arquivada. Obrigado por trazer até nós assuntos como esse, que por si tratar de um país distante dificilmente chegaria ao nosso conhecimento. Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Caro Chassot...

    Ótima postagem. O argumento de que a pílula do dia seguinte consiste em um método abortivo leva-nos a refletir sobre quando a vida se inicia. Pelo o que eu sei, a pílula do dia seguinte impede a nidação do provável ovócito fecundado, já que ela provoca a descamação do endométrio; caso não tenha ocorrido a fecundação ela age impedindo o encontro espermatozóide-ovócito.
    De qualquer forma devemos refletir sobre o assunto e nos mobilizarmos.

    Abraços !!!

    ResponderExcluir