TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

quarta-feira, 14 de março de 2012

14.- NIKOLA TESLA: ¿QUEM É?



Ano 6 *** www.professorchassot.pro.br *** Edição 2051
No fim de semana que passou, sem que saiba explicar o contexto, foi me perguntado: ¿Quem é Nikola Tesla? incontinente respondi: não sei. Depois disse: Muito provavelmente foi um inventor da área da Física Moderna, que deve ter vivido na virada do 19/20, pois existe uma unidade no SI de densidade magnético que se chama tesla. Minha sabedoria acerca de Tesla encerrava-se nisso.
Instigado pela curiosidade, procuro conhecer algo acerca de Tesla e vejo que ele é muitas vezes descrito como um dos mais importantes (e desconhecidos) cientistas e tido como aquele que "espalhou luz sobre a face da Terra" mas, também detentor de uma biografia assaz exótica. Talvez dissesse melhor: mirabolante (= demasiadamente fantástica, para ser verdadeira), da qual trago alinhavos.
Devo dizer que quanto mais conhecia sobre Nikola Tesla (Nicola Tesla ou Никола Тесла) (Smiljan, Império Austríaco, 10 de julho de 1856 — Nova Iorque, 7 de janeiro de 1943) mais me surpreendia como eu, sendo autor de um livro sobre História da Ciência, em circulação há quase 20 anos e professor de História e Filosofia da Ciência, com análises sobre a virada do 19/20, desconhecia praticamente tudo que lia.
Aliás, a respeito de meus traços de erudição mostrado na minha resposta vale completar que a unidade de SI que mede a densidade do fluxo magnético ou a indução magnética (geralmente conhecida como campo magnético "B"), o tesla, foi nomeada em sua honra (na Conférence Générale des Poids et Mesures, Paris, 1960), assim como o efeito Tesla da transmissão sem-fio de energia para aparelhos eletrônicos com energia sem fio, que Tesla demonstrou numa escala menor (lâmpadas elétricas) já em 1893 e aspirava usar para a transmissão intercontinental de níveis industriais de energia.
Na foto com cerca de 40 anos Tesla nasceu na aldeia de Smiljan, Império Austríaco, perto da cidade de Gospić, hoje na atual Croácia, filho de pais sérvios. O seu certificado de batismo registra que nasceu a 9 de julho de 1856, filho do Padre Milutin Tesla, presbítero da Igreja Ortodoxa Sérvia, e de Đuka Mandić. A sua mãe, filha de um padre da Igreja Ortodoxa Sérvia, com raízes profundas no Kosovo. Era talentosa a fazer utensílios domésticos e memorizou muitos poemas épicos sérvios, mas nunca aprendeu a ler. Nikola era súbdito do Império Austríaco por nascimento e mais tarde tornou-se um cidadão estadunidense.Tesla estudou engenharia eletrotécnica no Instituto Politécnico Austríaco em Graz (1875). Enquanto aí estava, estudou as utilizações da corrente alterna. Algumas fontes referem que recebeu graus de bacharelato da Universidade de Graz. No entanto, a universidade afirma que não recebeu nenhum grau e que não continuou os estudos após o primeiro semestre do terceiro ano, durante o qual deixou de assistir às aulas. Em dezembro de 1878 deixou Graz e quebrou todas as relações com a sua família. Os amigos pensaram que se tinha afogado no Mura. Foi para Maribor, (atual Eslovénia), onde arranjou um primeiro emprego como engenheiro assistente durante um ano. Sofreu um esgotamento nervoso nesta altura. Tesla foi mais tarde persuadido pelo seu pai a frequentar a Universidade Carolina em Praga, onde estudou na época do Verão de 1880. Foi aqui que foi influenciado por Ernst Mach. No entanto, após a morte do seu pai, deixou a universidade, tendo completado apenas um termo.
Tesla dedicou-se a ler muitas obras, memorizando livros inteiros, tendo supostamente uma memória fotográfica. Tesla relatou na sua autobiografia que experimentava momentos pormenorizados de inspiração. Durante o início da sua vida, Tesla foi atingido pela doença recorrentemente. Sofria de uma maleita peculiar na qual clarões de luz que o cegavam apareciam em frente aos seus olhos, muitas vezes acompanhados de alucinações. A maioria das vezes as visões estavam ligadas a uma palavra ou ideia com a qual se deparava; apenas por ouvir o nome de um assunto, involuntariamente o visionava com detalhes realísticos. Há relatos que ele podia visualizar uma invenção no seu cérebro na sua forma precisa antes de avançar para a fase da construção, uma técnica por vezes conhecida como pensamento visual. Tesla tinha também muitas vezes flashbacks de acontecimentos anteriores da sua vida; isto começou a ocorrer durante a infância.
Em 1880 mudou-se para Budapeste para trabalhar numa companhia de telegrafia, a Companhia Nacional de Telefones. Enquanto aí, conheceu Nebojša Petrović, um jovem inventor sérvio que vivia na Áustria. Embora o encontro de ambos fosse breve, trabalharam em conjunto num projeto que utilizava turbinas gémeas para criar energia continuamente. Quando começaram as comunicações telefônicas em Budapeste em 1881, Tesla tornou-se o eletricista-chefe da companhia, e mais tarde engenheiro do primeiro sistema telefônico do país. Desenvolveu também um aparelho que, de acordo com alguns, era um repetidor ou amplificador de telefone, mas que segundo outros poderia ter sido o primeiro altofalante.
Em 1882 deslocou-se para Paris, França para trabalhar como engenheiro na "Continental Edison Company", desenhando aperfeiçoamentos em equipamentos eléctricos. Também trabalhou em Lyon.
Tesla mudou-se para os Estados Unidos em 1884, estabelecendo-se em Nova Iorque e tornando-se um assistente do famoso cientista da época Thomas Alva Edison. Após um sério desentendimento com este por não haver recebido um gigantesco bônus prometido por Edison (segundo ele, uma brincadeira) por algumas de suas aplicações, aprimoramentos e descobertas (1886), Tesla perde o emprego e passa por um período difícil, realizando trabalho braçal.
Em 1887, consegue realizar um contrato com um grande investidor e vende sua patente da corrente alternada para George Westinghouse, que convence o governo americano a adotar o modelo-padrão de corrente alternada como meio mais eficiente para a distribuição de energia elétrica, contrariando interesses de seu antigo empregador Thomas Edison.
Ele é reconhecido por suas significativas contribuições revolucionárias no campo do eletromagnetismo. As patentes de Tesla e o seu trabalho teórico formam as bases dos modernos sistemas de potência eléctrica em corrente alterna (AC), incluindo os sistemas polifásicos de distribuição de energia e o motor AC, com os quais ajudou na introdução da Segunda Revolução Industrial. Neste cenário ocorre com Edison ‘a guerra das correntes.
Quando viaja pelos Estados Unidos e Europa, a partir de 1891, apresenta novos ensaios científicos, detalhando aplicações insuspeitadas sobre a aplicação da corrente alternada de alta frequência e várias outras descobertas. Desenvolve a partir desse período um conjunto extenso de inventos para produção e uso da eletricidade, como o motor elétrico e registra outra centena de patentes, como o acoplamento de dois circuitos por indução mútua, princípio adotado nos primeiros geradores industriais de ondas hertz, o princípio e metodologia de criar energia (corrente alternada) através de campo magnético rotativo, o motor assíncrono de campo giratório, entre outros.
Foto do laboratório de Tesla em Colorado Springs, em 1900 Inventou também a corrente polifásica, comutadores elétricos e ligação em estrela, novos tipos de geradores e transformadores, comunicação sem fio, a lâmpada fluorescente, controle remoto por rádio e protótipos de transmissão de energia.
Tesla era fluente em muitos idiomas. Além do sérvio, falava ainda sete outras línguas: checo, inglês, francês, alemão, húngaro, italiano e latim.
Tesla pode ter sofrido de transtorno obsessivo-compulsivo, e tinha muitas manias e fobias pouco habituais. Fazia as coisas de acordo com o número três, e era inflexível em relação a ficar em quartos de hotel cujo número era divisível por três. Tesla era também notado por ficar fisicamente facinado por joalharia, sobretudo brincos de pérola. Era maníaco acerca da limpeza e higiene, e era, segundo a opinião corrente, misógino.
Tesla era obcecado por pombos, encomendando sementes especiais para os pombos que alimentava no Central Park e chegando mesmo a trazer alguns com ele para o seu quarto de hotel. Tesla era um amante de animais, lembrando-se muitas vezes com contentamento dum gato que tinha todo na infância. Tesla nunca se casou. Era celibatário e afirmava que a castidade era muito útil às suas capacidades científicas. No entanto, existiram numerosos relatos de mulheres disputando a afeição de Tesla, algumas mesmo loucas de amor por ele. Tesla, embora delicado, reagia de um modo ambivalente a essas mulheres, no sentido romântico.
Tesla era sujeito a se alienar e era geralmente mal humorado. No entanto, quando realmente participava na vida social, muitas pessoas o referiam de um modo muito positivo e admirador. Robert Underwood Johnson descreveu-o como atingindo uma "distinta doçura, sinceridade, modéstia, refinamento, generosidade, e força." A sua leal secretária, Dorothy Skerrit, escreveu: "o seu sorriso genial e postura nobre sempre evidenciaram o carácter cavalheiresco que estava tão arraigado na sua alma." Hawthorne, amigo de Tesla, escreveu que "poucas vezes se conhece um cientista ou engenheiro que também seja um poeta, um filósofo, um apreciador de música erudita, um linguista, e um expert em comida e bebida."
No entanto, Tesla por vezes mostrava traços de crueldade; expressava abertamente a sua repulsa por pessoas obesas, tendo despedido certa vez uma secretária devido ao seu peso. Era também rápido a criticar as roupas dos outros, e em muitas ocasiões ordenou uma subordinada que fosse a casa e mudasse de vestido.
Tesla era largamente conhecido pela sua teatralidade, apresentando as suas inovações e demonstrações ao público de uma forma artística, quase como um mágico. Isto parece não estar de acordo com a sua observada propensão à reclusão; Tesla era uma figura complexa. Recusava-se a seguir as convenções sem a sua bobina Tesla bombardeando eletricidade através da sala, apesar da audiência muitas vezes estar aterrorizada, embora assegurasse que era tudo absolutamente seguro.
Na meia idade, Tesla tornou-se um amigo muito próximo de Mark Twain, passando ambos muito tempo juntos no seu laboratório e em outros lugares. Nos seus últimos anos Tesla tornou-se um vegetariano. Num artigo da Century Illustrated Magazine escreveu: "É de certo preferível cultivar vegetais e, penso eu, portanto, que o vegetarianismo é uma alternativa recomendável aos hábitos bárbaros estabelecidos." Tesla argumentava que era errado comer carne cara quando um número tão elevado de pessoas está à fome; também acreditava que a alimentação vegetal era "superior a isso [carne] tanto no desempenho mecânico como mental". Também argumentava que o abate dos animais era "imoral e cruel". No final da sua vida sofria de sensibilidade extrema à luz, som e outras influências.
Capa da revista Time de 1931 Tesla não gostava de posar para retratos, fazendo-o somente uma vez para a princesa Vilma Lwoff-Parlaghy. O seu desejo era ter uma estátua executada pelo seu amigo próximo, o escultor croata Ivan Meštrović, que nessa época estava nos Estados Unidos, mas morreu sem que tivesse hipótese de a ver. Meštrović fez um busto de bronze (1952) que se encontra no Museu Nikola Tesla em Belgrado e uma estátua (1955/56) colocada no Instituto Ruđer Bošković em Zagreb. Esta estátua foi deslocada para a Rua Nikola Tesla no centro da cidade de Zagreb no 150º aniversário do nascimento de Tesla, tendo o Instituto Ruđer Bošković recebido uma réplica. Em 1976, uma estátua de bronze de Tesla foi colocada nas cataratas do Niágara, Nova Iorque, uma estátua semelhante foi também erguida na sua cidade natal de Gospić em 1986.
ACIMA Monumento de Tesla em frente à Igreja Ortodoxa Sérvia de São. Sava, New York       AO LADO                   Monumento de Tesla, Niagara Falls, Canadá
O Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) do qual Tesla foi vice-presidente também criou um prémio em homenagem a Tesla. Designado por IEEE Nikola Tesla Award é atribuído a um indivíduo ou equipe que tenha contribuído de um modo extraordinário para a geração ou utilização de energia eléctrica, e é considerado como o prémio de maior prestígio na área da energia elétrica. A cratera Tesla no lado mais distante da Lua e o planeta menor 2244 Tesla foram também nomeados em sua honra.
100 dinares sérvios (2007) Tesla figurou em numerosas notas e moedas de dinar jugoslavo e sérvio. A maior central eléctrica sérvia, a TPP Nikola Tesla, deve o seu nome a Tesla. A 10 de Julho de 2006 o maior aeroporto da Sérvia foi renomeado como Aeroporto Nikola Tesla Belgrado em honra do 150º aniversário do nascimento de Tesla.
Nikola Tesla está presente na cultura popular enquanto personagem em livros, filmes, rádio, TV, música, teatro, banda desenhada e jogos de vídeo. A falta de reconhecimento recebida por Tesla durante a vida tornou-o numa figura trágica e inspiradora que se adapta bem à ficção dramática. Tesla tem aparecido sobretudo na ficção científica onde as suas invenções encaixam bem. O impacto das tecnologias inventadas por Nikola Tesla é um tema recorrente em muitos tipos de ficção científica.
Nos anos após a sua morte, muitas das suas inovações, teorias e alegações têm sido usadas, por vezes de forma forçada e controversa, para apoiar várias teorias excêntricas que não são vistas como científicas. Muito do trabalho próprio de Tesla obedece aos princípios e métodos aceites pela ciência, mas a sua personalidade extravagante e as alegações por vezes pouco realistas, combinadas com o seu gênio inquestionável, tornaram-no uma figura popular entre teóricos excêntricos e seguidores de teorias da conspiração sobre "conhecimento oculto". Mesmo durante a sua vida, alguns acreditavam que era realmente um ser angélico venusiano enviado à Terra para revelar conhecimento científico à humanidade. Esta crença é mantida hoje em dia pelos seguidores do Nuwaubianismo.
Há muito mais: verdade, ficção, lenda... vale ver como se constrói mitos e se apaga gênios. A minha curiosidade só aumentou.
Dois agradecimentos:
Ao colega e amigo Paulo Marcelo Pontes, um polímata, que na manhã de ontem me ensinou, desde Olinda, muito do que escrevi nesta edição, particularmente acerca das disputas com Thomas Edison — a Guerra das correntes — e também me forneceu pistas preciosas para redigir este texto, que fiz muito ajudado pela Wikipédia. O Paulo Marcelo é o maestro da campanha que este blogue apoia na coleta de ajuda para levar jovens de Olinda para representar o Brasil em campeonato de robótica.
À Gelsa, uma vez mais, um maravilhoso catalisador, instigando minha curiosidade com perguntas. Não sem razão que digo aos meus alunos que valorizo mais as perguntas que as respostas.

5 comentários:

  1. Caro Attico,

    o Tesla é realmente uma figura muito significativa na história da ciência, que beira ao brilhantismo e à tragédia.

    Ainda criança, inventou uma máquina movida a insetos voadores.

    Tesla sempre se culpou pela morte de seu irmão mais velho, Dane, e sempre considerava que o irmão faria melhor do que ele.

    Curiosamente, um dos inimigos do Superman chama-se Tesla, que utilizava um raio da morte. (O Tesla real também trabalhou num projeto de raio da morte, entre outros aparatos de uso militar).

    Tesla morreu isolado e praticamente sem recursos financeiros, quando poderia ter se tornado um dos empresários mais ricos dos Estados Unidos.

    Grande abraço,

    PAULO MARCELO

    ResponderExcluir
  2. Caro Chassot,
    Também sabia pouco a respeito de Tesla até que li um livro que trata da "guerra" entre ele e Edson contrapondo corrente alternada à corrente contínua. Na verdade Tesla ganhou a guerra, pois ele apregoava que transmissão da corrente alternada era mais barata e econômica, contra a imposição de Edson que desejava que as grandes usinas produzissem corrente contínua. Embora ele quase um ilustre desconhecido e Edson seja endeusado como talvez o maior gênio da eletricidade, suas contribuições a tecnologia no campo da geração e transmissão de energia, são as que usamos atualmente. O homem era um gênio genioso, turrão e excêntrico mas merece todo o reconhecimento que demos a ele. Parabéns pelo blogada extensa e ancha de informações. Abraços alternados, JAIR.

    ResponderExcluir
  3. Caro Attico,
    é impressionante a peregrinação e as contribuições que Tesla fez ao desenvolvimento do usa da energia. Aliás, só consegui ligar o computador para comentar o teu blog utilizando AC. Não tinha a menor ideia de quem se tratava. Obrigado pelo novo conhecimento.
    Um abraço,

    Garin

    ResponderExcluir
  4. Antonio Ot'elo Cardoso24 de março de 2012 16:53

    Atico

    Em primeiro lugar quero agradecer ao jacare que te inspirou a me sugerir ler teu blogue sobre o Tesla.
    Gostei e aprendi muito, alias vivi os ultimos 43 anos aplicando as tecnica que ele desenvolveu na geracao de energia.
    Gostei tanto que sugiro que aproveite tua capacidade de pesquisar e receber apoios para projetos similares sobre outros tres grandes
    cientistas desta 'area : Georg Simon Ohm, Alessandro Giuseppe A.A. Volta e Andre-Marie Ampere. Valeria a pena ainda um outro sobre Hans Christian Oersted.
    O desafio esta feito, se aceito, posso pesquisar um pouco tambem.

    Otelo

    ResponderExcluir
  5. Cada vez que leio e aprendo sobre SIR NIKOLA TESLA, ficomais fascinado com a Elétrica.
    Um dia terei o prazer de homenagia-lo de maneira mais digna, pois para mim, Tesla esta acima de Issac Newton, Arquimedes, Henry Pioncaré, Fernat, Socrates, Dionísio o Pequeno, Gregory Pereman, Pitágoras, Voltare e etc... Quer dizer o maior de todos.

    ResponderExcluir