TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

sábado, 31 de agosto de 2013

31.—CHASSOT, O BREVE, bis

ANO
 8
R I B E I R Ã O P R E T O – S P
EDIÇÃO
 2529

Estou, nesta manhã retornando Ribeirão Preto/Guarulhos /Porto Alegre. Ontem, graças a fidalguia de colegas pude conhecer um pouco de Ribeirão Preto imponente metrópole com 650 mil habitante e, mais especialmente, o magnífico campus da USP, localizado em terras de uma antiga fazenda de café.
A palestra promovida pelo Departamento de Química da USP foi concorrida, mais de 120 pessoas de diferentes áreas.  Muitas fotos e autógrafos. Estes são não foram mais numerosos porque 80% dos livros que trouxera na quarta-feira foram adquiridos em Araraquara.
Encerro agosto aqui na região central de São Paulo. Aditei ao rol de postagem deste blogue mais duas cidades: as duas últimas edições ocorreram em Araraquara e esta, em Ribeirão Preto.
Há quem diga que o mês que vive seu ocaso é o mês do desgosto. Parece que, este ano, cumpriu sua sina. Tive o meu dissabor, que nem de longe se assemelha, por exemplo, aos daqueles que foram vítimas de dias diluvianos no Rio Grande do Sul, como contei aqui na quinta-feira. Tive desgosto? Sim, mas nada a abalar convicções. Curti o mesmo, por vários dias, antes de trazê-lo. Faço aqui e agora.
Chassot, o breve, bis. Há 20 anos, vivi meteórica passagem como diretor de uma importante escola particular de Porto Alegre. Se um dia for referido na história da mesma, a menção será “Chassot, o breve... não durou seis meses.” No meu livro Memórias de um professor: hologramas desde um trem misto há um capítulo dedicado este episódio não muito glorioso de minha história.
Neste agosto, repete-se algo parecido. A 1º de março de 2013, a convite, fui contratado como professor de um Programa de Pós Graduação em Educação. Enchi-me de entusiasmo. Teci sonhos. Refiz planos. Mas não fraudei minhas convicções. Organizei seminário inédito,  muito bem avaliado pelos participantes em um mestrado muito promissor.
Em dias de julho, meus colegas e eu recebemos algo assim: “Como estamos finalizando o primeiro semestre, tendo em vista manter suas pastas atualizadas, solicitamos a entrega impreterivelmente até o dia 15/07 de relatório da produção do semestre”.
Em minha resposta, após menos de cinco meses na instituição enviei o relatório que está ao final.
Meu relatório foi avaliado. Recebi aviso para comparecer a instituição, para ser demitido no mesmo dia em que uma professora amazonense me envaidecia, publicado em uma rede social mensagem que recebeu dezenas de comentários: “Queridíssimo mestre Attico Chassot, é por ter sido contagiada por sua incansável tentativa de fazer alfabetização científica e por admirar, respeitar e acreditar em seu belíssimo trabalho, tens constantemente viajado comigo pelo interior do Estado do Amazonas por intermédio do "Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação", "Sete Escritos sobre Educação e Ciência" e " A Ciência através dos Tempos". Satisfação imensa em tê-lo como um referencial em termos de alfabetização científica e poder disseminar suas ideias com os participantes do PCE FAPEAM! Forte abraço, Aldalúcia Gomes”
Argumento para demissão: meu perfil não tinha produção que o mercado exigia. Precisavam de produtores de artigos científicos publicados em revistas com impacto acadêmico. Eu, em cinco meses, não anunciara nenhum.
Hoje, na pós-graduação brasileira os docentes há duas alternativas.
1) sujeitar-se a ser ‘máquinas produtoras de artigos’ que sejam publicáveis em revistas tidas como de nível excelentes, preferentemente estrangeiras, cuja produção gere impacto (= ser citado).
2) candidatar-se a serem excluídos do sistema, por negar à Educação o status de mercadoria e centrar a sua produção acadêmica na disseminação da mesma à sociedade que financia a maior parte da pós-graduação brasileira, especialmente a área das Ciências  Humanas.
Opto por fazer uma Educação que não é aquela que narro em Vende-se tabaco, perfume importado, Educação e camiseta de marcas, p. 67-82, in Análise dos sistemas de Educação Superior no Brasil e em Portugal. ARAUJO, C.M.M.; POLIDORI, M.M. EdiPUCRS / Editora Universitária Metodista, 2012. ISBN 978-8599738-19-1
Minha opção é a segunda alternativa. Não consigo submeter-me a primeira. Por tal sou ferreteado como um improdutivo. Assim não sonego o acerto da decisão de quem me fez, uma vez mais, ser ... Chassot, o breve.
Relatório do 1º semestre de 2013
1.- PUBLICAÇÃO DE LIVROS
1.- Ensino de Ciências: Pontos e contrapontos [diálogos entre Nélio Bizzo e Attico Chassot, mediados por Valéria Amorim Arantes] São Paulo: Summus, 2013, 192 p. ISBN N 978-85-323-0891-7
2.- A Ciência é masculina? É, sim senhora! São Leopoldo: Editora Unisinos, 2013 (1ª edição: 2003) sexta edição ampliada e atualizada.
2.- PREFÁCIOS
1.- Um prelúdio para outro Ensino Médio prefácio mais orelha para Reestruturação do Ensino Médio: pressupostos teóricos e desafios da prática [AZEVEDO, José Clovis; REIS, Jonas Tarcísio (orgs)]. São Paulo: Fundação Santillana e Moderna, 2013, 192 p. ISBN N 978-85-6348-915-9
2.- Um prelúdio, ou tentativa encantar-se com a docência prefácio e quarta capa para Ciências e Biologia: propostas para um continuado (re)iniciar [DUSO, Leandro; HOFFMANN, Marilisa Bialvo (orgs)]. Ijuí: EdUnijuí 2013, 320p. ISBN N 978-85-419-0063-8
3.- Um prelúdio, ou tentativa de fazer de utopias, realidades prefácio para Guia do técnico de segurança do trabalho [BRASIL, Jairo]. São Paulo: Atlas, 2013, Prelo
4.- Uma isagoge em laudação a um manual prefácio do livro Manual de implantação de museus escolares BARCELLOS, Guy Barros]. Porto Alegre: Edipucrs, 2013, Prelo
3.- CAPÍTULOS DE LIVROS
CHASSOT, Attico et alii Produção do conhecimento na  Educação Superior: Uma perspectiva inclusiva. In LEITE, Denise; LIMA, Eliseth Gonzaga dos Santos. Conhecimento, avaliação e redes de colaboração: produção e produtividade na Universidade.  Porto Alegre: Sulina. 2013, p 348 – 370  ISBN 978-85-205-0667-7
4.- PUBLICAÇÃO COM DISCENTE
BONIATI, Silvia Daiana Parussolo; CHASSOT, Attico. Avaliação da aprendizagem em sala de aula: a implantação da Progressão continuada. Trabalhp submetido e aceito nos III Congresso Internacional de Avaliação e o VII Congresso de Educação  promovido pela UNISINOS em outubro de 2013.
5.- SEMINÁRIOS
#
Duração/Período
Temática
Instituição
Cidade
Publico
01
30 horas 09 a 16 janeiro
História e Filosofia da Ciência
REAMEC
Manaus
20 doutorandos
02
30 horas março a
Junho
A busca do escrever Ciência com Arte
URI
Frederico Westphalen
7 mestrandas
03
30 horas de abril a junho
A busca do escrever Ciência com Arte
UNILASALLE
Canoas
12 mestrandos
6.- DISCIPLINA MINISTRADAS
6.1.- GRADUAÇÃO
Teorias do Desenvolvimento Humano, 4 créditos, no Centro Universitário Metodista do IPA, 2 turmas: 1) licenciatura em Música; 2) Licenciatura em Educação Física e Pedagogia.
6.2.- PÓS-GRADUAÇÃO
Educação e inclusão 4 créditos, no Mestrado Profissional de Reabilitação e Inclusão do Centro Universitário Metodista do IPA, regência do seminária compartida com Prof. Dr. José Clovis de Azevedo.
7.- PALESTRAS
#
DATA
TÍTULO
INSTITUIÇÃO
CIDADE
Participantes
01
0103
Como fazer de saberes populares, saberes escolares
Colégio Metodista Americano
Porto Alegre
200 alunos e professores
02
0405
Das disciplinas à indisciplina
UNIPAMPA
Dom Pedrito
180 professores da Educação Básico
03
0405
O que é Ciência afinal?
UNIPAMPA
Dom Pedrito
100 professores e alunos do mestrado
04
O410
PAPA FRANCISCO: GESTOS, INTERPRETAÇÕES e DESAFIOS
Unilasalle
Canoas
60 pessoas
05
0422
O que é Ciência afinal?
I E Paulo da Gama
Porto Alegre
200 alunos e professores do Ensino Médio
06
0426
Das disciplinas à indisciplina
Universidade Estadual de Roraima
Boa Vista - RR
150 professores e mestrandos da UERR
07
0508
O que é Ciência afinal?
32ª CRE
São Luis Gonzaga
350 professores do ensino médio
08
0508
Como ler o mundo com a Ciência?
32ª CRE
São Luis Gonzaga
300 professores do ensino fundamental
09
0508
Das disciplinas à indisciplina
UERGS
São Luis Gonzaga
Aula magna: 100 professores e alunos
10
0509
Para formar jardineiros para cuidar do planeta
UFFS
Cerro Largo
120 professores de Educação Básica
11
0509
Das disciplinas à indisciplina
UFFS
Cerro Largo
Aula magna: 150professores e alunos
12
0516
Das disciplinas à indisciplina
UNIFRA
Santa Maria
300 alunos e professores das licenciaturas
13
0520
O que é Ciência afinal?
I E Paulo da Gama
Porto Alegre
200 alunos do Ensino Fundamental
14
0523
Para além da disciplina de Química
UFRGS
Porto Alegre
50 alunos do curso de Química
15
0527
Diálogo de aprendentes
USP
Ribeiro Preto
Vídeo- aula 40 alunos de Química
16
0529
Indisciplinaridade: para além da transdiciplinaridade
URI
Erechim
220 alunos e professores
17
0619
História e Filosofia da Ciência catalisando propostas transdisciplinares
UTFPR
Campo Mourão
150 bolsista de PIBID em Química do Paranã
19
0620
O que é Ciência afinal?
UTFPR
Campo Mourão
20 professores da Educação Básica
20
0621
A busca do escrever Ciência com Arte
Mestrado Reabilitação e inclusão IPA
Porto Alegre
20 alunos
21
0629
Diálogo Ciência & Religião: uma (quase) utopia
Café Filosófico livraria Nova Roma
Porto Alegre
45 pessoas

7.- BANCAS
#
DATA
NIVEL
Programa de Pós Graduação
Instituição
Cidade
1
0109
Mestrado Qualificação
Ensino de Ciências
Universidade Estadual do Amazonas
Manaus
2
0109
Mestrado Qualificação
Ensino de Ciências
Universidade Estadual do Amazonas
Manaus
3
0425
Mestrado Qualificação
Ensino de Ciências
Universidade Estadual de Roraima
Boa Vista
4
0425
Mestrado Qualificação
Ensino de Ciências
Universidade Estadual de Roraima
Boa Vista
5
0426
Mestrado Qualificação
Ensino de Ciências
Universidade Estadual de Roraima
Boa Vista
6

Mestrado Qualificação
Educação
URI
Frederico Westphalen
7
0529
Mestrado Defesa
Ecologia
URI
Erechim
8
0610
Mestrado Defesa
Reabilitação e Inclusão
Centro Universitário Metodista do IPA
Porto Alegre
9.- ORIENTAÇÕES
#
Nome
Nivel
IES
Qua
Def
Tematica
1
Camila Guidine Camargo
Mestdo
URI-FW
SIM
0314
A presença indígena na universidade
2
Célia Serrão
Doutdo
REAMEC
SIM
0614
Sabores amazônicos fazendo saberes escolares
3
Eloá Giosane Brum Rambo de Ávila
Mestdo
Unilasalle
0314
0315
A Formação do Enfermeiro para a Prática Pedagógica
4
Irlana Maia de Oliveira
Doutdo
REAMEC
0314
0616
A extensão na UFAM: passos e descompassos
5
Luciana Franco Barbosa
Mestdo
CUM-IPA
SIM
0813
A formação de Jovens trabalhadores
6
Quiélen Rosa Souza Albarello
Mestdo
URI-FW
SIM
0314
Um olhar sobre a Matemática: gosto ou pavor?
7
Silvia Daiana Parussolo Boniati
Mestdo
URI-FW
0913
0614
implantação da Progressão continuada.
10.- DISSEMINAÇÃO DA CIÊNCIA

Antes de relatar este último item relativo às atividades de 2013/1, por ser o primeiro relatório institucional, deva dizer que é na disseminação da Ciência que centro muito dos meus fazeres. Nos últimos cinco anos estive para proferir palestras em Instituições de 25 das 27 unidades da federação (só não estive ainda no Amapá e no Acre) e com mesma finalidade fiz palestras na Argentina (cinco universidades), Colômbia (quatro universidades), Dinamarca, Espanha, França, México, Paraguai e Uruguai.

32 comentários:

  1. Bizarro uma pós em educação demitir Attico Chassot! Vem pro PPGEC-UnB, Mestre!

    ResponderExcluir
  2. Mestre Chassot,
    Não acredito, Esta instituição que fez isso com o senhor é míope.
    Eu não conheço — talvez exista — alguém mais produtivo que o senhor.
    Eu me senti agredido.
    A solidariedade e admiração do
    Laurus Loureiro Lima

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo prof, Chassot:
    Acabo de ler a sua revelação, na blogada da hojea. Estou parvo e, ao mesmo tempo, indignado. Como se pode aguentar uma visão academica tão tosca diante da qualidade de suas atividades? Do peso do seu curriculum? E da sinceridade de suas propostas de trabalho? Ah, essa nossa academia gestora, tão tacanha quanto ignóbil, para não dizer burra. Estou com você.
    Abraços mais do que solidários.
    José Carneiro

    ResponderExcluir
  4. Grande Chassot,
    isso é incrível.
    Pensei que lia uma ficção modelito pulgo e pulga de ontem,
    Li seu relatório. Duvido que alguém possa chama-lo de improdutivo.
    Indignada solidariamente,
    Mirian de Salônica

    ResponderExcluir
  5. Muito querido Mestre Chassot,
    O senhor é nosso Feyerabend.
    Veja sua luta contra os Comitês de Ética na Pesquisa e contra a excrescência que é Plataforma Brasil.
    Agora o senhor é vítima dessa qualisação.
    Qualquer Programa de Pós Graduação em Educação (sem visão obtusa) o acolherá;
    Marcella

    ResponderExcluir
  6. Muito querido Mestre Chassot,
    O senhor é nosso Feyerabend.
    Veja sua luta contra os Comitês de Ética na Pesquisa e contra a excrescência que é Plataforma Brasil.
    Agora o senhor é vítima dessa qualisação.
    Qualquer Programa de Pós Graduação em Educação (sem visão obtusa) o acolherá;
    Marcella

    ResponderExcluir
  7. Professor Chassot!
    Convença-se:
    Não se joga pérola aos porcos.
    Ontem à noite quando eu ouvi na USP de RP. Dizia este é o Lutero da Ciência: o Protestante
    Solidariamente revoltada,
    Hipácia de Nola

    ResponderExcluir
  8. Meu sábio amigo, entristece-me constatar o que sempre enfatizo em meus comentários, vivemos uma era sem ética, como dizia Marx o que norteia a sociedade são as bases de um mercado dominado pelo capital. Com isso os bancos escolares perdem diariamente Atticos e Chassots, e perdem portanto qualidade de ensino. Tive uma fase em minha vida com ocorrência parecida quando fui diretor de material em um hospital público, como não concordei com a corruptela fui "convidado" a ser substituído por uma marionete.Meu amigo saiba que sua didática é brilhante, a todos a que indico sua literatura me retornam com os mais completos elogios. E mais, essas indicações são a um público dos mais ecléticos possíveis de cientistas a estudantes.
    Abraços do amigo e leitor diário
    Antonio Jorge

    ResponderExcluir
  9. Olá Mestre Chassot, como vai? Achei o tal programa de pós-graduação em educação muito mal educado. Tanto no sentido da polidez, da cortesia e da delicadeza (como demitir alguém que foi convidado depois de um semestre de trabalho? É como se eu o convidasse para um cafezinho em minha casa e o expulsasse assim que lá você pusesse os pés), mas, principalmente, no sentido científico. Você é um grande educador e é muito maior que a tal instituição que, certamente (e paradoxalmente), não sabe o que é educação. Essa política dos órgãos de avaliação e fomento da ciência brasileira, de introduzir o capitalismo selvagem no meio científico, é deletéria e piora a sociedade.

    ResponderExcluir
  10. Ao Nosso Querido e Grande Mestre que não foi DEMITIDO: Sem justa causa o nome já diz tudo não é preciso explicar nada mestre, é ou não é uma ditadura? são eles que dão as cartas de ensino.Gostaria muito de saber que forma e filosofia de ensino é esse,é uma pena que por ignorância de uma instituição os alunos sejam privados de teus conhecimentos,mais uma vez quem perdem são os jovens... acredite você é um profissional indiscutível. Estamos PROTESTANDO. Um abraço Ley.

    ResponderExcluir
  11. Limerique

    O mestre seu currículo descreve
    E ousar contra sistema se atreve
    Mas máquina da deseducação
    Não se permite concessão
    Portanto tornou-o Chassot, o breve.

    ResponderExcluir
  12. Querido Prof.(eterno) Chassot!
    Espero que a vida continue nos proporcionando muitos outros reencontros...
    Bon courage!
    Bisous de la France
    Luciana Backes

    ResponderExcluir
  13. Mestre Chassot,
    Você pode ser um Lutero ou um Feyerabend, como o comparam em outros posts.
    És por primeiro um dos ícones da alfabetização científica brasileira que comoveu a muitos de nós em Teresina no ano passado.
    Aceite o desagravos dos piauiense pelo que uma instituição mercantilista lhe fez.
    Venha ser professor em Estado que o ama

    ResponderExcluir
  14. Amigo querido,

    Uma Universidade "em desenvolvimento" (evitando terminologias menos simpáticas e mais verdadeiras) laureava a fronte de um grande intelectual de nosso tempo ou contrário?
    A faina produtivsta assola até a elite intelectual mais aurática. Entristeci-me, não por ti, mas pelos alunos... Abraço-te nesta triste constatação: ainda há muito que amadurecermos cientificamente no Brasil.
    Meu solidário afago,
    Guy.

    ResponderExcluir
  15. Mestre Chassot,
    Minha pergunta é a mesma do professor Guy:
    quem perdeu: o senhor que foi excluído de um Programa de Pós Graduação em Educação que pensa que o senhor não o merece ou os alunos do mesmo que não terão mais o privilégio de ouvi-lo como tiveram aqueles de nós que na noite de quinta-feira o ouvimos atentamente suas palavras de sabedoria, na UNESP de Araraquara, quando já passava das 23h?
    Aqui sempre terá um lugar para o senhor. Não precisa esperar para 21º EVEQ em 2024.
    gabi

    ResponderExcluir
  16. Lia, a Ilíria que anda le1 de setembro de 2013 15:12

    Querido mestre!
    Carrego comigo uma certeza que, creio, compartilhas também, pois nossa experiência assim o atesta:
    Há momentos que a despeito de (ou justamente por) serem breves, se eternizam na história pela intensidade com que foram vivenciados. Acredite: Não foi em vão. O tempo mostrará o que hoje não se vê! Vidas marcadas carregam cicatrizes que se tornam bandeiras de luta pela transformação. Grande e carinhoso abraco: Lia, a Ilíria que ainda lê

    ResponderExcluir
  17. Cada vez mais simpatizo contigo e entendo o porque mestre vem antes de Chassot, essa instituição não o merece. Um abraço de um cearense,
    Diego

    ResponderExcluir
  18. Queridíssimo Mestre Chassot,
    É justamente por ter percebido ao ler tua primeira obra que negas veementemente à Educação o status de mercadoria que passei a nutrir por ti sentimentos de admiração, gratidão e respeito! Reafirmo o comentário feito por mim em rede social, pois foi após o contato com tuas palavras sobre Alfabetização Científica que passei a perceber a importância desta para todos os cidadãos! Contudo, estranhamente a mesma instituição que te qualifica como improdutivo é a mesma que te apresentou-me como referência em Alfabetização Científica!

    Forte abraço Grande Mestre!!!

    ResponderExcluir
  19. Mestre Chassot!
    O senhor acena para duas possibilidades:
    1) sujeitar-se a ser ‘máquinas produtoras de artigos’ que sejam publicáveis em revistas tidas como de nível excelentes, preferentemente estrangeiras, cuja produção gere impacto (= ser citado).
    2) candidatar-se a serem excluídos do sistema, por negar à Educação o status de mercadoria e centrar a sua produção acadêmica na disseminação da mesma à sociedade que financia a maior parte da pós-graduação brasileira, especialmente a área das Ciências Humanas.
    Opta pela segunda e assim naturaliza o acerto da decisão de quem o fez, uma vez mais, ser ... Chassot, o breve.
    Sabe quando teremos uma pós-graduação de qualidade? Quando mais pesquisadores fizerem opção como a sua.
    Com admiração,
    Felipe de UFTO Campus Tocantins

    ResponderExcluir
  20. Querido amigo,
    gostei muito de seu blog que lhe permite dizer e analisar a situação da educação de forma crítica. No momento faço parte daqueles que são considerados produtivos nas avaliações dos órgãos de pesquisa e fiz essa opção de alguns anos para cá. Porém, respeito muito a decisão de quem não a fez, como você.
    Um grande abraço,
    Mafá UFMG

    ResponderExcluir
  21. Caríssimo amigo

    Quero dizer que me solidarizo com sua crítica. O sistema Qualis da CAPES cada vez mais se torna sinônimo de produção em série necessária à concessão de fomentos a pesquisadores como também à sua sobrevivência no âmbito da Pós-graduação stricto sensu. E quanto mais se exige que o pesquisador produza, menos as revistas qualificadas como A1 e A2 conseguem avaliar suas produções com a agilidade necessária. Por vezes, levam até doze meses para dar a resposta. Como, então, "produzir em série" se as esteiras de escoamento da produção se acham emperradas? Há muita coisa errada e perversa nesse sistema, que converte o conhecimento científico em mercadoria e os trabalhadores que produzem esse conhecimento em perseguidores de metas cada vez mais inalcançáveis.

    Abs
    Renato

    ResponderExcluir
  22. Boa Noite Estimado Mestre,

    Ao ler a notícia fiquei chocada com o acontecimento, é lamentável tal atitude. Mestre, você não se faz breve, mas já se tornou eterno para aqueles que o admiram e lhe tem como exemplo de verdadeiro educador. Para as pessoas que fazem Chassot, “o breve”, eu os comparo como poeira ao vento, essas, o vento leva, e o que elas deixam, nada.

    Um forte abraço,
    Professora Irlane Maia de Oliveira - Depart. de Biologia
    Universidade Federal do Amazonas

    ResponderExcluir
  23. Boa noite mestre,

    Gostaria de deixar registrado aqui a minha aversão a esta formatação da Educação que prima por uma quantidade (duvidosa) transformando-a em mercadoria o que nos torna reféns do Lattes e de Qualis como determinantes da nossa produtividade acadêmica.
    Esta academia perde uma mente brilhante e muito mais: um educador extremamente humano (cada vez mais difícil nos dias de hoje).
    Um forte abraço!
    Camila

    ResponderExcluir
  24. Mestre Chassot,
    um grande abraço do teu amigo e admirador.
    Outro grande edudador - Darcy Ribeiro - disse certa vez:
    "Urge preveni-los do muito que se poderia fazer, com apoio no saber científico, e do descalabro e pequenez do que se está fazendo".

    ResponderExcluir
  25. Bom dia, conhece-lo foi um ato feliz, partilhar nosso ofício ,é um privilégio¨¨Edite

    ResponderExcluir
  26. Olá, Amado Mestre!
    Um pequeno período como teu aluno, uma grande adimiração. Lamentei tua saida do quadro de professores, mas ficam as lembranças da forma lapidada como conduzia tuas aulas, demonstrando sempre a pessoa especial que simplesmente compartilhava sua vida. Espero te encontrar outras vezes e ter o privilégio de sentar-me aos pés, pois mereces ser ouvido.
    Um Grande abraço
    Elmer Link

    ResponderExcluir
  27. Mestre Chassot!

    Ter a ousadia de confrontar os ¨Papas¨ da Academia é um preço que poucos tem a coragem de o fazer.por outro lado, provocar o respeito e admiração dos alunos, nem todos poderão registrar no seu LATTES da vida. Foi um privilégio ter vivenciado o seminário da escrita. Quem perde é a academia.um grande abraço e toda minha admiração....pela lição de vida e mestre educador...
    Rosa

    ResponderExcluir
  28. Prezado e Nobre Professor Chassot,

    Podem lhe tirar uma colocação, mas jamais lhe tirarão a sua profunda inteligência, ética e conhecimento, além de sua postura de notável educador, melhor permanecer com elas e manter suas idéias com autonomia, do que ser cerceado por quem não as tem. Desejo-lhe o mais absoluto sucesso nesta nova fase da sua vida, pois, o ocorrido certamente foi apenas uma etapa.

    Abraços,

    Ex-Aluno Juliano seu no Mestrado em Educação.

    ResponderExcluir
  29. Chassot, muito querido Chassot!
    Como estou atrasada na postagem!!... Mas de modo algum poderia deixar de manifestar-me sobre o ocorrido que deixou a todos nós, que lhe conhecemos e bebemos de seu conhecimento, no mínimo, espantados!!
    Se fores improdutivo, haverá porventura denominação à minha pequena condição como pesquisadora??
    Depois do espanto, refleti no próprio argumento da referida instituição: “perfil sem produção que o mercado exige!”
    Meu querido Chassot, de fato, você não condiz com esse perfil mais mercantilista que intelectual, suas produções não podem agradar esse MERCADO...
    Sua produção de saberes, meu querido Chassot, não é produto passível de venda, transcende tal intenção, e não pode ser compreendido por mentes capitalizadas.
    Que prejuízo incalculável para os alunos que foram privados de receber sementes tão relevantes para a construção de sólido conhecimento científico!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito querida Eliane,
      Sempre a mesma!
      há um tempo minha muito brilhante aluna de doutorado e também minha livreira querida.
      Trazer solidariedade quando esta postagem parecia esquecida não é atraso.
      Avivas teu reconhecimento. Conhecendo a tua competência na gestão acadêmica de reconhecida instituição amazônica teu desagravo se faz generoso e reconhecido,
      Attico chassot

      Excluir
  30. Cada vez mais grandioso Mestre Chassot, cada uma de suas palavras do seu post de hoje calam fundo em mim. Primeiro porque me entristece essa forma estúpida que os pesquisadores comprometidos com a formação docente em detrimento da produção acadêmica em série vem sendo tratados. Em segundo por mais uma vez me deparar com as mazelas em que estão imersas nossas universidades o que não nos encoraja de forma alguma a seguir essa carreira ficando a mercê de tais situações que, mesmo que saibamos serem completamente descabidas são o que têm ditado nossas trajetórias. Menos mal que o senhor não precisa mais disso, se submetendo a esses absurdos. Abraços fraternos, com muita admiração Maribel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito querida amiga e colega Maribel,
      quando esta postagem foi feita, as tramas da politecnia ainda não nos haviam feitos parceiros.
      Receber, aqui e agora, teu reconhecimento é algo muito bom.
      A gratidão por seres uma aliada e uma resistente (leia-se: insurgiente)

      attico chassot

      Excluir