TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

terça-feira, 24 de maio de 2011

24. TEMPOS DE OBSCURANTISMO

Ano 5

Porto Alegre

Edição 1755

Diferentemente de outras edições, faço meus votos de uma terça-feira prenhe ddos melhores fazeres neste prelúdio. Acredito que cada uma e cada um de meus leitores serão tomados de distintas emoções ao terminar a leitura desta edição. Uns se rejubilarão, pois se confrontarão com um texto que leva a ratificar seus credos fundamentais. Outros, talvez, serão tomados de uma santa ira (se é que ira pode ser santa). Minha posição é manifesta no preambulo e na tarja que adito ao texto.

É histórica a relação da Educação com as igrejas no mundo Ocidental. No século 12 quando surgiu a Universidade, ressalvada a primeira (a Universidade de Bolonha) todas as demais surgiram á sombra das catedrais. A Escola, no formato que conhecemos hoje, legado da Modernidade, surge com marcas eclesiais: Reforma Protestante (1517) e Contrarreforma (por exemplo, a fundação da Companhia de Jesus, 1531). Com a descoberta da América, no Novo Continente a situação não se fez diferente.

Ainda nos dias atuais é significativa a presença de diferentes denominações religiosas na Educação Básica e na Educação Superior. No Brasil, especialmente o ensino superior confessional é feito por igrejas tradicionais, talvez com mais destaque para as igrejas católica, luterana, metodista, presbiteriana.

Os tempos hoje são ou outros e seria imaginável pensar em censuras (e condenações) como receberam, por exemplo, Bruno, Galileo, Abelardo e muitos outros.

Por serem outros os tempos, há surpresas. Inesperadamente somos levados a tempos de

obscurantismo. Eis que uma igreja, mantenedora de uma Universidade com campi em diversos estados brasileiros e uma extensa rede de escolas, faz chegar a seus professores, no século 21, manifestação de admoestação, da qual trago excertos {as inserções [...] indicam supressões que fiz; são meus, também, os assinalamentos com marca-texto}:

A Igreja [...] está estabelecida num país onde há liberdade de viver, se expressar e agir conforme a decisão ou vontade de cada um. Assim, a opção sexual faz parte dessa liberdade. Por outro lado, a Igreja também entende que a liberdade de discordar e não aceitar em seu meio uma união homossexual, por esta ferir os princípios da Bíblia Sagrada, faz parte da sua liberdade e não lhe pode ser cerceada, pois fere a Constituição Nacional. [...]

Assim, precisamos diferenciar homossexualismo de homofobia. A Igreja Luterana não concorda com a conduta homossexual, mas não discrimina o ser humano homossexual.

Por isso declaramos:

1 – A Igreja [...] crê e confessa que a sexualidade é um dom de Deus, destinado por Deus para ser vivido entre um homem e uma mulher dentro do casamento.

2 - A Igreja [...] crê e confessa que o homossexual é amado por Deus como são amadas por Deus todas as suas criaturas.

3 - Em amando todas as pessoas e também o homossexual, Deus não anula o propósito da sua criação.

4 - Por esta razão, a igreja, em acordo com a Sagrada Escritura, denuncia na homossexualidade um desvio do propósito criador de Deus, fruto da corrupção humana que degrada a pessoa e transgride a vontade de Deus expressa na Bíblia. “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher: é abominação. Nem te deitarás com animal, para te contaminares com ele, nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele: é confusão. Portanto guardareis a obrigação que tendes para comigo, não praticando nenhum dos costumes abomináveis que praticaram antes de vós, e não vos contamineis com eles: Eu sou o Senhor vosso Deus” (Levítico 18.22,23,30); “Por isso Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seus próprios corações, para desonrarem os seus corpos entre si; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro” Romanos 1.24,27); “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6.9-10).

5 - Porque a homossexualidade transgride a vontade de Deus e porque Deus enviou a igreja a levar Cristo Para Todos, a igreja se compromete a encaminhar o homossexual dentro do que preceitua o amor cristão e na sua competência de igreja, visando a que as pessoas vivam vida feliz e agradável a Deus; Mateus 19.5: “... Por esta causa deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.”

6 - A Igreja [...] repudiando qualquer forma de discriminação, deve estar ao lado também das pessoas de comportamento homossexual, para lhes dar o apoio necessário e possam vir a ter a força para viver vida agradável a Deus.

7 - Diante disto repudiamos a ideia de se conceder à união entre homossexuais o caráter de matrimônio legítimo porque contraria a vontade expressa de Deus e dificulta, se não impossibilita, a oportunidade de tais pessoas revisarem suas opções e comportamento.

8 - Repudiamos também, por consequência, a hipótese de ser dado a um casal homossexual a adoção e guarda de crianças como filhos porque entre outros prejuízos de formação, formará na criança uma visão distorcida da sua própria natureza.

Fiéis ao nosso lema [...] ensinamos que a igreja renova também o seu compromisso de receber pessoas homossexuais no amor de Cristo visando que a fé em Jesus as transforme para a nova vida da qual Deus se agrada.

11 comentários:

  1. Caro Chassot,
    Isso: "repudiamos a ideia de se conceder à união entre homossexuais o caráter de matrimônio legítimo" é hipocrisia pura. Me encontro num país no qual a igreja católica vem, por anos e anos, escondendo o comportamento homossexual e pedófilo de seus padres e bispos a custa de milhões de dólares oriundos de seus seguidores. Então, repúdiar a idéia de união entre homossexuais é tolher ainda mais os religiosos pedófilos que, não podendo consolidar sua situação, continuarão traumatizando meninos e meninas inocentes com suas investidas sexuais. Não entendo como uma igreja que toma posição tão firme contra a união de adultos que normais só que de mesmo sexo, não faz nada para banir de suas igrejas quem se comparta como seus religiosos pedófilos. HIPOCRISIA!!!

    ResponderExcluir
  2. Caro Chassot,

    hoje vou comentar a tua dúvida "se é que ira pode ser santa"[?].
    Pois eu também tenho dúvidas, ainda que, em certos momentos, tenha o impulso de elevar bem alto os meus sentimentos de ódio.
    Por outro lado, se a ira for um sentimento contra uma ofensa às próprias crenças, entendo que tenho a obrigação de manifestá-lo, desde que, a partir disso, não venha prejudicar o humano do meu próximo.
    Ainda sobre isso, outro olhar é possível: pode haver separação entre o humano e o santo? Na doutrina do cristianismo o santo é o humano que é separado para uma missão de Deus. Diante disso, encerro o meu comentário adicionando mais uma questão: não são santos todos aqueles que se envolvem na missão de construir a vida humana?

    Uma grande terça-feira para ti, com ira ou sem ira!

    Garin

    http://norberto-garin.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. JAIRCLOPES deixou um novo comentário desde Vegas, USA:

    Caro Chassot,
    Isso: "repudiamos a ideia de se conceder à união entre homossexuais o caráter de matrimônio legítimo" é hipocrisia pura. Me encontro num país no qual a igreja católica vem, por anos e anos, escondendo o comportamento homossexual e pedófilo de seus padres e bispos a custa de milhões de dólares oriundos de seus seguidores. Então, repúdiar a idéia de união entre homossexuais é tolher ainda mais os religiosos pedófilos que, não podendo consolidar sua situação, continuarão traumatizando meninos e meninas inocentes com suas investidas sexuais. Não entendo como uma igreja que toma posição tão firme contra a união de adultos que normais só que de mesmo sexo, não faz nada para banir de suas igrejas quem se comparta como seus religiosos pedófilos. HIPOCRISIA!!!

    ResponderExcluir
  4. Meu caro Jair,
    aquele saber primevo: “Quem tem telhado de vidro, não atire pedra no telhado do vizinho!” realmente parece esquecido.
    Boa estada aí em (Las?)Vegas e desminta o paradigma e traga dinheiro.
    Com redobrada admiração
    attico chassot

    ResponderExcluir
  5. ELZIRA escreveu desde MARAVILHA SC

    Ainda não consigo postar comentarios Faço como anonimo mas não deu mais certo..
    Não é só os carros que as vezes nos deixam a pe.... sobre hoje...como a humanidade caminha devagar para mudar os pensamentos....as religioes fechadas...a as pessoas cheias de preconceitos....
    E um comentario sobre educação. Santa Catarina ainda luta para ganhar o piso que deste 2008 e lei....estamos em greve....
    Elzira.

    ResponderExcluir
  6. Meu estimado colega Garin,
    quando fiz esta postagem de hoje, no íntimo desejei que não acessasses o meu blogue hoje. Já há um tempo vens sendo o meu comentarista mais presente. Sabia que para um teólogo o assunto de hoje não seria fácil. Aliás, começo meu comentário pela tua clausura: sinto-me santo.
    Realmente é tênue o limite santo/humano.
    O que me causou espécie no texto da ‘Igreja’ é o julgar os humanos usando com o texto do Levítico, que era referência e normas para um bando de nômades que há mais de 4 mil anos eram andarilhos em busca da promissão (¿estou certo?). Mesmo Paulo, há 2 mil anos falava em outro cenário. A mim parece que Paulo era homossexual e por tal dizia que ‘era bom que homem não tocasse em mulher’.
    Um exemplo de fundamentalismo: a recomendação da ‘Igreja’ aos professores homossexuais que lhe prestam serviço: vinde a mim e eu curarei.
    Obrigado por sempre com lucidez aditares aqui teus comentários. Hoje este foi precioso.
    Com renovada admiração
    attico chassot

    ResponderExcluir
  7. Muito querida Elzira,
    hoje tu e muitas pessoas de distintas geografias, entre 06-12h (uma estimativa) não puderam postar comentários em centenas de blogues.
    Realmente hoje temos nesta blogada um bom exemplo de como a humanidade caminha devagar.
    Causa espécie no texto da ‘Igreja’ é o julgar os humanos ~~ como disse em outro comentário ~~ usando com o texto do Levítico, que era referência e normas para um bando de nômades que há mais de 4 mil anos eram andarilhos em busca da promissão. Espia o que escrevi ao Prof. Garin, teólogo da Igreja Metodista. O seu blogue http://norberto-garin.blogspot.com/ que te recomento prima por lições do cotidiano.
    Um exemplo de fundamentalismo: a recomendação da ‘Igreja’ aos professores homossexuais que lhe prestam serviço: vinde a mim e eu curarei.
    Estive em na sexta-feira em Floripa e nas duas falas havia participação de tua Maravilha. Sempre a refiro como exemplo de um munícipio que tem feriado em 31 de outubro. No blogue de domingo escrevo como me sinto próximo de meus colegas catarinas. Assim acompanho a justa greve do magistério catarinense.
    Obrigado por seres minha leitora diário. Quando vejo um acesso de Maravilha, penso: é Elzira, para quem agora aos domingo busco postar antes dos serviços religiosos.
    Um afago carinhoso, lembrando tu me levando um sanduiche na rodoviária de Maravilha,
    attico chassot

    ResponderExcluir
  8. ELOISA SILVA MOURA24 de maio de 2011 17:19

    Estimado prof. / amigo Attico, o assunto e extremamente delicado...Mas o que e mais serio e insistencia em argumentar com as citacoes do Evangelho um posicionamento que acredito pretende reforcar a visao da instituicao com relacao a homossexualidade.Mas li com atencao e vou retomar novamente para uma reflexao mais apurada digamos.
    Um abraco e prossiga...Eloisa Moura

    ResponderExcluir
  9. Muito querida amiga e sempre ‘aluna’ Eloisa,
    este blogue sente-se honrado em receber este teu comentário desde a Nigéria. Seja bem vinda.
    Realmente o assunto é delicado, mesmo que fundamentalistas como o mostrado pela mantenedora da Universidade e sua rede de Escolas é inaceitável nos dias atuais.
    Um agradecimento especial por tê-la como leitora
    attico chassot

    ResponderExcluir
  10. Mestre Chassot
    Mais uma vez a causa ambiental veste luto nesta terça-feira, 24 de abril de 2011. Defensores das ultimas reservas que nos restam de recursos naturais sao covardemente assassinados, numa regiao onde impera o coronelismo e a crueldade com aqueles que priorizam suas existencias na defesa do que mais sagrado a natureza nos legou. Me quedo muy triste en esta noche...
    JB

    ResponderExcluir
  11. Meu caro Jairo,
    a Câmara dos Deputados é dos latifundiários e do agronegócio.
    Alio-me a tua dor com a expectativa que a Presidente vete o artigo famigerado.
    Com admiração
    attico chassot

    ResponderExcluir