TRADUÇAO / TRANSLATE / TRADUCCIÓN

domingo, 3 de fevereiro de 2013

03.- GRAMADOZOO: UM ZOOLÓGICO QUE FAZ DIFERENÇA


Ano 7***              C A N E L A                 ***Edição 2377
Esta edição dominical despede a estada na Serra no eixo Canela/Gramado. Esta tarde a Liba, a Gelsa, o Antônio e eu — chegados aqui na manhã de sexta-feira , começamos a voltar.
Nos últimos anos deslocara meu vir à Serra Gaúcha para o Vale dos Vinhedos, por sua menor ‘exploração’ turística. Nos anos 90 aqui era nosso local preferido para as férias de verão. Mas já fazia uns 10 anos que não vinha para cá.
Há novidades: destaco apenas uma: o zoológico, com um novo conceito, com a proposta de agregar ao turismo, o Gramadozoo contempla bem-estar animal, pesquisa, educação ambiental e entretenimento.
Hoje, quando em Educação se discute tanto espaços não formais para ensinar, o Gramadozoo não é apenas um espaço turístico recreacional é um lócus educativo não escolar.
Em funcionamento desde setembro de 2008, o Gramadozoo traz um novo conceito para o segmento. Bem-estar animal, pesquisa, educação e conservação ambiental são os pilares que orientam as atividades do empreendimento. No lugar das grades e jaulas, vidros blindados e enormes viveiros de imersão reproduzem com fidelidade o habitat das espécies.
Com alta preocupação ambiental e enquadrado na categoria A do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), o Gramadozoo inova também ao apresentar animais exclusivamente da fauna brasileira, que possui a maior biodiversidade do planeta. Atualmente, vivem no parque 1.500 animais.
No zoo gramadense, espécies em extinção recebem cuidados especiais para reprodução e pesquisa. Com hospital veterinário, berçário e ambientes especiais para os animais de clima quente, o zoológico possui uma equipe especializada de biólogos, veterinários e educadores ambientais, que proporcionam aos visitantes uma perfeita harmonia entre homem e natureza.
Durante o percurso de 1.200 metros do zoo, o visitante recebe informações através dos educadores ambientais, das placas ilustrativas com fácil leitura, que ajudam o empreendimento a cumprir uma de suas principais metas: a educação ambiental.
Outra grande novidade é a visitação no período da noite, o que permite uma experiência única de observação de espécies com hábitos noturnos, oferecendo uma opção totalmente diferenciada no segmento.
Para virar referência, foram cinco anos até a abertura do parque ao público: três anos de pesquisa e dois de construção, o que dá uma ideia dos cuidados envolvidos na implantação do Gramadozoo.
Com uma vista magnífica dos vales, o restaurante do Gramadozoo – em formato de oca indígena – tem capacidade para atender mais de 200 pessoas. O parque conta ainda com exclusiva loja de produtos que valorizam a fauna brasileira, onde parte do valor arrecadado é revertido para pesquisa e conservação de espécies ameaçadas de extinção.
O parque, que fica a 700 metros do pórtico de entrada da cidade na RS-115, disponibiliza infraestrutura de altíssimo nível, totalmente adaptada para portadores de necessidades especiais. Vale fazer um destaque especial a bióloga Tatiane e ao acadêmico de Biologia Gabriel pela competência profissional de uma e outro em nos orientar durante toda a visita.
Desejo a cada uma e cada um de meus leitores que ainda na conhece o Gramadozoo  posso fruí-lo em uma visita real. Texto de apoio: www.gramadozoo.com.br e fotos Google.

6 comentários:

  1. Esta alternativa de zoo é um paliativo a brutalidade de se encarcerar os inocentes animais. A forma tradicional tem que ser urgentemente erradicada.

    abraços

    antonio jorge

    ResponderExcluir
  2. Caro Chassot,
    Está em cartaz nos cinemas "A vida de PI", baseado no livro de Yann Martel de mesmo nome o qual eu li gostei. Pois é, no livro o autor defende a existência de zoológicos com os mesmos argumentos que a maioria defende: preservar espécies ameaçadas de extinção e conhecer os animais para poder ajudá-los. Mas ele mostra-nos que o que os animais querem é SEGURANÇA, ALIMENTAÇÃO e oportunidade de REPRODUÇÃO e isso os zoos lhes dão, portanto, só por atender essas necessidades básicas dos animais já está justificado a existência dos zoológicos, por que na natureza eles normalmente morrem cedo se não tiverem capacidade competitiva para conseguir esses itens.
    Visitei o zoo de San Diego na Califórnia (que é uma referência mundial) quando meu filho era funcionário daquela prefeitura, e notei exatamente o que você viu no Gramadozoo. Como, pelo andar da carruagem, nossos bisnetos só conhecerão animais através de zoos, é bom que eles estejam animalizando (correlato de humanizando) esses locais para que a fauna tenha alguma chance de sobreviver no futuro. Abraços e parabéns pela blogada. jair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complementando, o livro "A vida de Pi" é quase um plágio do "Max e os felinos" do Moacir Scliar. Ele mesmo, o Moacir, fez um depoimento interessante a respeito. Como a obra de Yann Martel é boa, creio que a do Scliar é melhor ainda. JAIR.

      Excluir
  3. Limerique

    Era um zoológico em Gramado
    Onde bicho não ficava amontoado
    Animais tinham espaço
    O qual não era escasso
    E eles não se sentiam enjaulados.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Attico Chassot,
      Em nome do Gramadozoo, agradecemos a visita e todas as palavras escritas neste blog. Foi um prazer acompanhar a sua bela família e a troca de conhecimentos foi muito rica durante o passeio.
      Atualmente os objetivos dos zoológicos são a conservação de espécies em cativeiro, pesquisa e educação ambiental. E nesta finalidade que o GramadoZoo busca atingir seus objetivos, principalmente usando a educação como ferramenta para sensibilizar os visitantes quanto a biologia dos animais, além de questões ecológicas e conservacionistas.
      Quando estiver por Gramado, faça uma visita no Gramadozoo!

      Tatiane

      Excluir